Da civilização cordial de Ribeiro Couto ao homem cordial de Sérgio Buarque de Holanda